Português Inglês Espanhol

Por que se associar?

O IBAP é uma associação que congrega professores, pesquisadores, estudantes e profissionais da área de avaliação psicológica. O IBAP não apenas tem proporcionado espaços de diálogo entre as áreas temáticas que constituem esse campo de estudos no Brasil, como também tem buscado contribuir para o avanço da prática profissional, do ensino e da pesquisa em avaliação psicológica nas diversas regiões brasileiras.

Todo sócio do IBAP tem o direito:

  • Participar, ter voz e votar nas assembleias gerais;
  • Seguir discussões relevantes que acontecem na área;
  • Manter-se informado e atualizado sobre temas, conferências, concursos, eventos e diversas atividades do campo acadêmico da área;
  • Obter facilidades e descontos nos seus congressos da entidade e também de associações parceiras, tais como a FENPB, a SBNp, a SBP, ABOP, ABP+;

Categorias de associados:

Sócio Profissional Psicólogo: inclui os indivíduos portadores do título de psicólogo com registro em seu Conselho Regional de Psicologia (CRP), ou indivíduos comprovadamente reconhecidos como psicólogos nos países em que exercem a profissão

Sócio Profissional Associado: inclui pesquisadores na área da avaliação psicológica que não têm registro no Conselho Regional de Psicologia (CRP)

Sócio Estudante de Pós-graduação: inclui os alunos de pós-graduação (latu e strictu sensu) de cursos de psicologia ou áreas afins

Sócio Estudante de graduação: inclui os alunos de graduação de cursos de psicologia e áreas afins

Mural

CFP publica nova resolução sobre a elaboração de documentos escritos e produzidos pelo psicólogo

Resolução institui regras para a elaboração de documentos escritos e produzidos pela (o) psicóloga (o) no exercício profissional e revoga a Resolução CFP nº 07/2003 e Resolução CFP nº 15/1996

CFP publica nova resolução sobre nomas e procedimentos para a perícia psicológica no contexto do trânsito

O Conselho Federal de Psicologia (CPF) publicou a Resolução CFP nº 01/2019 que institui normas e procedimentos para a perícia psicológica no contexto do trânsito e revoga as resoluções do CFP nº 007/2009 e 009/2011.